Alvarenga e Ranchinho – Drama de Angélica

“Ouve o meu cântico… Quase sem ritmo… Que a voz de um tísico… Magro esquelético… Poesia ética… Em forma esdrúxula… Feita sem métrica… Com rima rápida… Amei Angélica… Mulher anêmica… De cores pálidas… E gestos tímidos… Era maligna… E tinha ímpetos… De fazer cócegas… No meu esôfago… Em noite frígida… Fomos ao Lírico… Ouvir um músico… Pianista célebre… Soprava o zéfiro… Ventinho úmido… Então Angélica… Ficou asmática… Fomos ao médico… De muita clínica… Com muita prática… E preço módico… Depois do inquérito… Descobre o clínico… Um mal atávico… Mal sifilítico… Mandou-me célere… Comprar noz-vômica… E acido cítrico… Para o seu fígado… O farmacêutico… Mocinho estúpido… Errou na fórmula… Fez despropósito… Não tendo escrúpulo… Deu-me sem rótulo… Ácido fênico… E ácido prússico… Corri mui lépido… Mais de um quilômetro… Num bonde elétrico… De forca múltipla… O dia cálido… Deixou-me tépido… Achei Angélica… Já toda trêmula… A terapêutica… Tosse alombática… Me veio em xícara… De ferro ágato… Tomou num fôlego… Triste e bucólica… Tese estrambólica… Droga fatídica… Caiu no esôfago… Deixou-a lívida… Dando-lhe cólica… Que morte trágica… O pai de Angélica… Chefe do tráfego… Homem carnívoro… Ficou perplexo… Por ser estrábico… Usava óculos… Um vidro côncavo… E o outro convexo… (lento)… Morreu Angélica… De um modo lúgubre… Moléstia crônica… Levou-a ao túmulo… Foi feita autópsia… Todos os médicos… Foram unânimes… No diagnóstico… Fiz-lhe um sarcófago… Assaz artístico… Todo de mármore… Da cor do ébano… E sobre o túmulo… Uma estatística… Coisa metódica… Como Os Lusíadas… (rápido)… E numa lápide… “Paralepípedo”… Pus este dístico… Sério e simbólico… Cá jaz Angélica… Moça hiperbólica… Beleza helênica… Morreu de cólica”… [Por Alvarenga e Ranchinho]… Veja mais sobre Alvarenga e Ranchinho aqui.

3 comentários

  1. Ei! ( 21/04/2011 às 17:58 )

    Andre, plágio de quem? Alvarenga e Ranchinho?! Eles gravaram essa música em 1957… sugiro uma visita a esse site: http://www.lucianoqueiroz.com/alvarenga.htm

  2. Andre ( 21/04/2011 às 17:31 )

    plagio bravo… Tangos e tragédias, um espetáculo de dois músicos gaúchos tocam essa música a mais de 20 anos…

  3. Pingback: Fique por dentro

Deixe uma resposta

Vale a Pena Ouvir de Novo
Comentários Recentes
  • Juliana { Minhas filhas só dormem ouvindo as historinhas aqui!!! Ontem não funcionou! Adoro ! Voltem logo!! } – 25 set, 7:29 AM
  • Claudia Abreu { Infância cheia de sonhos na zona da mata mineira, cidade de Ponte Nova-MG. Eramos muitos, Claudinho, Marcelo, Renata, Rosilene, Edna, Elaine. Na casa da vovó ... } – 19 ago, 1:36 PM
  • camila { essa é muito classica <3 } – 30 jul, 11:17 PM
  • camila { vou guardar esse site no meu coraçao (e nos favoritos) } – 30 jul, 11:13 PM
  • Playbck midi { Concordo contigo.. acho que as situações e coisas que nos são valiosas são insubstituíveis .. dói; e muito; ouvir varios temas de comercais nos dias de ... } – 12 jul, 12:31 AM
  • Olga Soares de Lima. { Não esperava encontrar...Mag ia é a palavra correta para esta produção. Nunca esqueci este som maravilhoso que me lembra das raras vezes que me alegrei com ... } – 08 jul, 3:53 PM
  • CEGORA { FALEM MUITO,MAS FALEM BASTANTE DO CORINTHIANS,poi s desta forma ele vai continuar sempre vivo na mente de todo o mundo e quem sabe, de tanto falarem ... } – 20 mai, 9:49 AM
  • José Leandro Junqueira Meireles { Belíssimo, para os padrões da época! } – 22 abr, 6:49 PM
  • Kevin Peterson { Uma musica lendaria! fantastica! mt obrigado! q nostalgia! } – 11 mar, 6:09 PM
  • Jairo { Nossa eu ganhe da miavo na decada de 80 im disco de vinil com esta historinha que lindo me emocionei mt } – 10 fev, 2:29 PM
  • Fabio oliveira { Sensacional !! Gosto muito das suas pegadinhas mução ... bem divertido. } – 13 jan, 11:56 PM